Desafios de um Chefe de Terreiro


Na assistência, cinquenta ou cem pessoas aguardando atendimento, não faz tanta diferença para quem está ali prestando a caridade. Fora o tempo que inevitavelmente vai alongar-se nesse propósito, a energia gasta sempre é reposta pela bondade divina.
Quanto ao cansaço físico, nada que um bom banho, um alimento saudável e uma noite de sono não possa refazer.
Os consulentes que vem com suas cargas, seus acompanhamentos espirituais e seus problemas e que buscam ali no terreiro o conforto ou até a suposta solução, não são o real desafio para o dirigente umbandista.
O verdadeiro desafio para o exercício dessa tarefa é a administração da Casa e da corrente mediúnica, por menor que ambas possam ser. As dificuldades materiais de manutenção e conservação de um ambiente saudável e acolhedor se misturam a de manter os médiuns unidos, sob o mesmo propósito com todas as diferenças de personalidades que inevitavelmente existem entre eles.
Sem contar que ali estão "filhos" espirituais sob sua responsabilidade pessoas com históricos e formas de pensamentos diferentes, mesmo estando sob a proteção dos Orixás e Guias orientadores e senhores da parte espiritual da casa, as emanações mentais muitas vezes força a base sustentadora da corrente trabalhar de forma dobrada para manter a sintonia dos trabalhos.
Quando uma casa é aberta no plano material, automaticamente na sua contra parte espiritual, também se começa a construção dos alicerces dos postos de socorros, no inicio aguardando a formação da corrente material, os guias vão edificando a construção desse espaço e aguardam o melhor momento para de vez abrir as portas do pronto atendimento que será a parte anexa a casa.
Não importa o tamanho do terreiro aqui na terra, a sua contra parte espiritual sempre terá o tamanho necessário para acomodar a todos os espíritos que são socorridos durante os trabalhos, se engana aqueles trabalhadores que imaginam que ao findar o trabalho ele se encerrou, ali é apenas uma pausa, o trabalho na parte espiritual continuara até todos os espíritos terem condições mínimas de equilíbrios e desta forma começa-se uma nova época para aqueles que aceitaram o socorro e chamado dos guias.
Umbanda é muito mais que vemos ou imaginamos, nossos olhos enxergam pessoas dançando, cantando, louvando ao sagrado, mas a nossa visão é limitada quando se trata da parte espiritual, a proteção do local do trabalho, o inicio dos atendimentos enquanto as pessoas encontram-se ainda sentadas em seus lugares, várias entidades começam a trabalhar em seus pontos de forças ou chacras, fortalecendo e energizando, para que eles tenham uma mudança energética e assim consigam se desligar daquele problema que tanto atrapalha a vida.
Quando se trata de obsessões que a pessoa esta sofrendo no momento que ela se acomoda em seu lugar os guias que trabalham na triagem espiritual, já dão inicio ao tratamento no obsessor, emanando sentimentos de amor e encorajamento, assim começa o processo de desligamento entre o encarnado e a entidade obsessora, cortando os cordões que ligam o encarnado e seu algoz, quando a pessoa é chamada para a consulta metade do trabalho já foi realizado, o guia que atende através do médium tem o trabalho facilitado, por isto que realmente a umbanda apresenta resultados positivos na melhora das pessoas, cada casa é um grande time, uma enorme egregora que trabalha a cada noite em todos os terreiros, não importa o seu tamanho físico e sim importando o tamanho do amor e sentimentos que todos devem ter.
Por isto que a Umbanda é linda, emocionante e acima de tudo consegue renovar os sentimentos das pessoas que realmente buscam novos caminhos, novas oportunidades de mudanças.
Saravá Umbanda.
Roberley Meirelles